O PL 253/2020 precisa ser aprovado com urgência na ALESP! A Frente Parlamentar de Cultura da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, com o FLIGSP (Fórum do Litoral, Interior e Grande São Paulo), criou a proposta, que cria um auxílio emergencial para trabalhadoras, trabalhadores e espaços da cultura em todo estado de São Paulo. A medida é necessária para evitar a falência do setor cultural!

O setor cultural foi o primeiro a parar e deve ser um dos últimos a voltar! Com a necessidade de promover o distanciamento social para evitar o colapso do sistema de saúde durante a pandemia de Covid-19, o setor cultural teve de abrir mão de um de seus principais elementos: o público. Sem aglomeração, a cultura fica sem qualquer apoio para se manter de pé!

De acordo com a PNAD Continua 2019 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o setor cultural como um todo emprega 5,2 milhões de pessoas, ou 5,7% da força de trabalho ocupada no país. Esses trabalhadores estão empregados em mais de 300 mil empresas em todo o Brasil, a maioria de pequeno e médio porte, mais vulneráveis a situações de crise. No estado de São Paulo a cultura corresponde a 3,9% do PIB.

As trabalhadoras e trabalhadores precisam de uma renda! Por isso, o PL 253 propõe um salário mínimo estadual (R$ 1.163,55) para trabalhadoras(es) e R$ 3.500,00 para os espaços conseguirem se manter. Se o show tem que continuar, ele precisa de política pública!

A proposta do PL 253 agora está em uma emenda do PL 350! O PL 350 é um 'projetão' de medidas contra o coronavírus e seu teor principal conta com amplo apoio da base de deputados(as), mas como as emendas são votadas separadamente não temos certeza de nada. Por isso, precisamos agora pressionar pela aprovação da emenda 131, que leva o PL 253 ao 'projetão'!

A proposta já está correndo na ALESP! Coloque suas informações ao lado e envie sua mensagem a todas as deputadas e deputados, pedindo a aprovação urgente do PL 253!

PEÇA A APROVAÇÃO URGENTE AOS DEPUTADOS(AS) ESTADUAIS DE SP!

Who will you press? (78 targets)
Pessoas pediram a aprovação do PL 253/2020 na ALESP







O Estado de São Paulo conta com uma extensa rede de teatros e espaços culturais, localizados em lugares públicos, nos centros e nas periferias das cidades, de pequeno e médio porte, com capacidade de até́ 500 lugares.

Tais equipamentos são locais de interesse público, na medida em que promovem a fruição, a cidadania e a diversidade, oferecendo atividades culturais à preços populares e/ou gratuitamente, contribuindo decisivamente para a revitalização das cidades e circulação de cidadãos. Na maioria das cidades do interior, litoral e da grande São Paulo são estes espaços que asseguram a difusão cultural em seus territórios.

Além dos trabalhadores da cultura, é urgente e vital salvaguardar Espaços Culturais de portas para a rua, que integram uma das bases da cadeia produtiva das Artes e da Cultura e estão sendo gravemente prejudicados em virtude da paralisação das atividades.







[16] - Quem apoia
[78] - Quem não se posicionou
[0] - Quem não apoia
Adalberto Freitas (PSL)
Adriana Borgo (PROS)
Agente Federal Danilo Balas (PSL)
Alex de Madureira (PSD)
Alexandre Pereira (SD)
Altair Moraes (REPUBLICANOS)
Analice Fernandes (PSDB)
André do Prado (PL)
Aprigio (PODE)
Arthur do Val (PATRI)
Ataide Teruel (PODE)
Barros Munhoz (PSB)
Beth Sahão (PT)
Bruno Ganem (PODE)
Caio França (PSB)
Campos Machado (PTB)
Carla Morando (PSDB)
Carlão Pignatari (PSDB)
Carlos Cezar (PSB)
Carlos Giannazi (PSOL)
Castello Branco (PSL)
Cauê Macris (PSDB)
Cezar (PSDB)
Conte Lopes (PP)
Coronel Nishikawa (PSL)
Coronel Telhada (PP)
Daniel José (NOVO)
Daniel Soares (DEM)
Delegada Graciela (PL)
Delegado Bruno Lima (PSL)
Delegado Olim (PP)
Dirceu Dalben (PL)
Douglas Garcia (PSL)
Dr. Jorge Do Carmo (PT)
Dra. Damaris Moura (PSDB)
Ed Thomas (PSB)
Edmir Chedid (DEM)
Edna Macedo (REPUBLICANOS)
Emidio de Souza (PT)
Enio Tatto (PT)
Erica Malunguinho (PSOL)
Estevam Galvão (DEM)
Fernando Cury (CIDADANIA)
Frederico d'Avila (PSL)
Gil Diniz (PSL)
Gilmaci Santos (REP)
Heni Ozi Cukier (NOVO)
Isa Penna (PSOL)
Itamar Borges (MDB)
Janaina Paschoal (PSL)
Jorge Caruso (MDB)
Jorge W. X. do Consumidor (REP)
José Américo (PT)
Leci Brandão (PC do B)
Léo Oliveira (MDB)
Leticia Aguiar (PSL)
Luiz Fernando T. Ferreira (PT)
Major Mecca (PSL)
Márcia Lia (PT)
Marcio da Farmácia (PODE)
Marcio Nakashima (PDT)
Marcos Damasio (PL)
Marcos Zerbini (PSDB)
Maria Lúcia Amary (PSDB)
Marina Helou (REDE)
Marta Costa (PSD)
Mauro Bragato (PSDB)
Milton Leite Filho (DEM)
Monica da Bancada Ativista (PSOL)
Paulo Correa Jr (DEM)
Paulo Fiorilo (PT)
Professor Kenny (PP)
Professora Bebel (PT)
Rafa Zimbaldi (PL)
Rafael Silva (PSB)
Reinaldo Alguz (PV)
Ricardo Madalena (PL)
Ricardo Mellão (NOVO)
Roberto Engler (PSB)
Roberto Morais (CIDADANIA)
Rodrigo Gambale (PSL)
Rodrigo Moraes (DEM)
Rogério Nogueira (DEM)
Roque Barbiere (PTB)
Sargento Neri (AVANTE)
Sebastião Santos (REPUBLICANOS)
Sergio Victor (NOVO)
Tenente Coimbra (PSL)
Tenente Nascimento (PSL)
Teonilio Barba (PT)
Thiago Auricchio (PL)
Valeria Bolsonaro (PSL)
Vinícius Camarinha (PSB)
Wellington Moura (REPUBLICANOS)







O Fórum do Litoral, Interior e Grande São Paulo (FLIGSP) é formado por artistas, produtores e gestores culturais de mais de 80 municípios, do Estado de São Paulo, somando mais de 150 participantes para debater o desenvolvimento das Artes da Cena e das Políticas Públicas no que se refere à formação, pesquisa, produção e difusão cultural, no intuito de oferecer alternativas que garantam a continuidade e a permanência do artista cênico em sua região.

O FLIGSP acredita que através da ação coletiva da sociedade civil organizada é possível provocar a reflexão e o desenvolvimento dos sensos estético e ético, compartilhados pela comunidade, tão necessários para o desenvolvimento de seu patrimônio imaterial e indispensáveis para a construção do sentimento de pertencimento e orgulho da identidade do povo que constitui a cultura de uma nação.

Por isso, colaborou com a criação do Projeto de Lei 253/2020 e está se mobilizando por sua aprovação urgente na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, com a criação desta campanha. Pressione as deputadas e deputados.
Apoio:













A Minha Campinas é uma organização da sociedade civil que busca promover participação popular consciente nas tomadas de decisão da cidade de Campinas, com tecnologias sociais e digitais, através de mobilizações sociais e incentivo a comunidades de ação. Entendemos a importância da cultura e das artes na vida em sociedade e a necessidade legítima de auxílio no momento da pandemia de Covid-19.
Para manter nossa independência, não recebemos recurso público, de partidos e empresas concessionárias de serviços públicos. Por isso, precisamos da sua doação para continuar mobilizando!